quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Porque eu sei que é amor ♪

Boa noite, gurias!

(posts quinzenais, oi? rs Pois é, dei uma olhada no meu arquivo e não foi bem assim que o blog funcionou até agora. A explicação é simples: amo falar, adoro escrever. aí acabo me prendendo demais a detalhes que não são tão importantes pra vocês.  e além disso, as vezes o 'tema' vem. Mas enfim, vai ser ótimo ler isso daqui alguns anos e poder visualizar o quanto eu amadureci! haha)

Pois então, gente. O assunto de hoje é mais sobre o mundo real, do que o mundo aupairiano. Quero falar um pouco sobre as kids, da minha terceira referência - o voluntariado na instituição, que eu já comentei aqui.

Viram só? Não mostrei meu video ainda, mas hoje vou colocar aqui algumas fotos do application rs
Well, desde que eu descobri o au pair, a primeira coisa que me encantou no programa foi: crianças!! Eu nunca nem tinham idealizado um plano real de intercâmbio, porque era algo que eu achava legal, mas não acreditava que pudesse ser pra mim (finanças hehe). Aí descobri o programa, e nossa, ir passar o dia com crianças, na casa de uma família legal (gente, a primeira impressão!! rs) e morando nos EUA? Eu quero! Naquela época, eu tinha uma única experiência que poderia ser 'contabilizada' (detesto pensar assim, parece que estou me aproveitando das crianças). Então, logo vi que eu precisaria incrementar esse quesito do perfil.

Aí, passei os anos do Ensino Médio a base de blogs, histórias boas e histórias ruins, e a vontade de ser au pair sempre aumentava. Quando finalmente terminei a escola, fui atrás de uma escola de educação infantil, para iniciar o voluntariado. Tem uma há quatro quadras da minha casa, bem pertinho mesmo. Seria easy easy voluntariar la, porque a diretora foi minha professora, e a gente sempre se deu bem. Porém, antes de ir falar com ela, uma amigona minha, que tá sempre torcendo e rezando por mim, e que sabe que meus planos são de fazer uma faculdade de serviço social e trabalhar com kids, me indicou esse lugar que estou hoje. Eles fazem parte de uma associação beneficente, que controla cinco entidades. Essa, na qual eu voluntario, é quase que uma escola comum de educação infantil (0 - 3 anos). Entretanto, eles só atendem a crianças carentes, com um tratamento especial para elas e para as famílias. 

Trabalhar lá me ajudou muito, com certeza, pra muito além do au pair! Claro, lá tive a certeza de que sou realmente capaz de lidar com diferentes crianças, mas a história de cada uma delas, o carinho, as brincadeiras, e as falas mais autênticas impossível, me ensinaram MUITA COISA! Posso dizer pra vocês, com toda certeza, que amo 'minhas' kids. Quando não tô com elas, fico lembrando de algo que aconteceu, de um beijo espontâneo, ou de um choro de crocodilo, sabe aqueles momentos que a gente tem que segurar pra não rir? É muito bom mesmo.

Pra vocês terem uma ideia, logo que entrei lá me deparei com um casalzinho de gemeos, 1 ano e alguns meses de idade. Gente, eles tem cara de brabo!! São muito carentes no quesito carinho. Nossa, tive até medo deles, porque eram (na verdade, são) muito brabos. Mas no momento que tu dá atenção, da colo, faz cosquinha, brinca e conversa, viram outras crianças! É mágico, e é lindo de ver. É uma pena que eu não possa estar com eles direto, pra que isso virasse cotidianos, e não apenas uma parte do dia.

meu bugrezinho! s2 é muito amor por ele, gente!


Porém, estar com elas não é só alegria. Na verdade, por causa da não-alegria que encontro lá todos os dias, cada vez tenho mais certeza de duas coisas: 1- quero ser assistente social! 2- professores deveriam receber muito mais, talvez assim, tivessem mais vontade de estar com as kids. Especialmente ali é complicado, porque as professoram acabam com uma carga muito grande: precisam educar as crianças, precisam dar muito carinho, e além de tudo, aguentar chilique dos pais, que não fazem, em casa, nem 10% do que elas fazem pelas crianças.

Mas, por que falar disso hoje pra vocês? Em vez de ser inteligente e guardar assunto pra quando o blog estiver as moscas? É que essa semana vi/ouvi coisas realmente tristes... Não sei se as enchentes aqui do sul são notícia de nível nacional, mas sei que aqui, não se fala em outra coisa! Pois é, tivemos cinco dias de chuva, mas gente, CHUVA  DIRETO! Não parou de chover, foi uma coisa muito louca. Além do frio (que já estamos acostumados) já ter sido mais intenso do que o de costume - tivemos até neve na Serra, neve de verdade! (olha a foto aí) - e que, com certeza já foi suficiente pra atingir as crianças, tivemos essa chuva, que vai voltar mais intensa ainda em setembro... Pois então, com essa chuvarada toda, os rios e arroios da região transbordaram, e atingiram as casas. Não só casas pobres, mas também casas boas, de material, que são localizadas nas proximidades desses rios. Enfim, tem outros transtornos, como toda a cidade estar sem abastecimento de água, a falta de luz e a tranqueira nas rodovias. Mas gente, isso não é NADA, perto do que essas pessoas que tem agua dentro de casa, num nivel de dois metros de altura, estão passando... Sair de casa, com água pela cintura, apenas com os documentos na mão, e os filhos de arrasto, deixando tudo pra trás, deve ser a coisa mais triste.

Estou muito preocupada com as minhas crianças. Ontem fui dormir no quentinho das minhas cobertas, com as roupas prontas já pro dia seguinte, e pensei nelas. Me senti até um pouco mal. Aí a gente se pergunta, porque crianças? Porque tanto sofrimento? Enfim, muitas dúvidas, mas mesmo assim, eu não duvido de Deus. Essa tragédia, apesar de tudo, tem seu lado bom... ela nos ensinou muito, nesses poucos dias. as pessoas estão criando consciência da importância da água, colocando a solidariedade em prática, rezando pelos outros, e o principal, agradecendo pelo que têm! 

Sei lá, só pra citar um exemplo, uma das minhas crianças (uma daquelas bem especiais sabe? que tu tem uma vontade enorme de trazer pra casa!) tem 3 anos, e uns 5 irmãos - estilo escadinha, mas enfim - a mãe é sozinha, e tenta dentro do possível, ser boa pra eles. Mas as condições financeiras, e o fato de estar sozinha pra cuidar de tantos (sei que o fato de serem tantos podia ter sido evitado e blablabla, mas divagar sobre isso deixaria o post mais enorme ainda!), não ajudam-na muito... então as coisas ficam complicadas. Na semana passada, o W. foi parar no hospital, por infecção intestinal! Gente, quando eu soube fiquei muito preocupada e com pena, até hoje não sei como fizeram pra ter alguém lá, acompanhando ele... Mas graças a Deus ele voltou pra casa, depois de uma semana, mais ou menos, bem mais magro e 'cabisbaixo', mas pelo menos acho que o pior tinha passado. Que sensação boa aquela de dar um abraço apertado e uns beijos naquela bochecha, que um dia foi mais gordinha hehe *--*

Então, depois de passar essa semana no hospital, sabe-se-lá como, ontem ele apareceu na tv, sendo carregado pela mãe (que tbm carregava a irmã mais nova, LINDA! um bebê de uns 10 meses), para saírem de casa, que já tinha água a 1m de altura (durante a noite e o dia de hoje, a tendência era subir mais!). Isso acaba com a gente por dentro. Claro que eu já tinha visto notícias como essa, quando outras catástrofes até maiores, acontecerem pelo país... mas quando tá assim, pertinho da gente, o impacto é bem maior. Fora que essa é apenas uma das histórias, sendo que é só ir até la na escolhinha pra conhecer varias outras, e sei que amanhã, ou mesma vou ficar sabendo de mais :\

Aí, é nesses dias, que me bate a culpa por querer ser au pair. Sei que eu posso crescer muuuuuito com essa experiencia... mas vejo as famílias das au pairs com casas que pra mim (pras minhas crianças então!) são coisa de novela, com viagens lindas e muitas compras rs É por isso que já falei aqui tantas vezes, sobre eu achar que talvez esse não seja meu momento. Eu quero que seja, mas não é a nossa vontade que prevalece, não é? E também, sei que mudar a realidade da minha cidade inteira não depende de mim, e que tem gente precisando de ajuda em todo o mundo, inclusive nos EUA (alías, alguma current au pair que possa falar de voluntariado americano? hehe). Hoje, mais do que ontem, tenho certeza de que o que Deus tiver pra mim, será, e eu vou realizar da melhor maneira possível. Agora, rezo apenas pra que eu entenda a vontade d'Ele, e que seja ilumina pelos caminhos, que é também, o que desejo a todas vocês, gurias!! Que a gente entenda, que tudo faz parte do plano de Deus! :)

Bom, o post de hoje era só um desabafo. Também quero pedir orações por todas essas pessoas que estão em dificuldade, e para que as outras saibam cada vez mais dar valor ao que têm! Ah, além disso, se tiver au pair gaúcha lendo isso, e que more próxima a região do Vale dos Sinos, toda ajuda é bem-vinda! Precisamos de roupa, alimento, material de higiene, meias (gente, meias!!), cobertores. enfim, pra muitos, é tudo novo de novo. 

E agora, um vídeo das minhas kids pra vocês, babem em como elas são lindas! *----*

video
PS1: tem que aumentar o volume pra ouvir um dos menores dando 'tau' pra camera!
PS2: Reparem como nem a música da bruxinha enterte eles, quando exergam a camera - ta aí o porque da dificuldade pras fotos espontanes do application! enfim, mágoas passadas kk

De novo, desculpem o post enorme! Mas vocês já devem ter percebido que comigo é assim mesmo, rs

Beijos.
Duda!

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Enquanto espero a HF...




Boa noite, pessoal!

Cá estou eu para mais um post quinzenal, enquanto não tenho todos aqueles posts clichês sobre o momento mais feliz da nossa saga (pelo menos eu acho que deva ser né, o do match *-*), sobre o visa, malas, despedidas, enfim, aquele correrio todo pelo qual toda aspirante a au pair deseja passar!

Pois é, um mês e meio online e nada de famílias! Os grupos do Facebook também não têm ajudado muito nos últimos dias, rs mas estou bem tranquila. Of course, penso nisso todo dia, mas na verdade, o que me mata é a curiosidade. Sou uma pessoa muito curiosa, e não saber ao certo o que será dos meus próximos meses, é esquisito. Pra vocês terem uma ideia do nível da curiosidade da pessoa, por exemplo, as vezes me pego pensando "o que será que aconteceu com aquela au pair que nunca mais postou?" hahaha 

Bom, eu não me sinto afilta, não fico direto no F5 (como achei que ficaria), acesso meu email apenas a noite, e dificilmente é só por causa do au pair, normalmente é pra encaminhar ou abir alguma coisa. Entretanto, óbvio que sempre que vou digitar a senha penso "será?" rsrs Acesso também, uma vez por dia, o Extranet, porque né? Vai que não recebo o bendito do email!! 

Entretanto, apesar disso, tive um sonho muito estranho essa semana, que fez eu me perguntar se eu não estava mesmo me sentindo aflita rsrs Sonhei que estava na sala, conversando com alguém que não sabia sobre os meus planos (pouca gente sabe), e que de repente, uma amiga (que sabe bem por cima, na verdade, acho que agora nem lembra rs) chega na porta falando algo do tipo 'ah, a Duda tá indo pros EUA e blablabla', aí a pessoa que tava comigo na sala pergunta 'sério? quando?', e então, eu DO NADA, só por causa dessa perguntinha, respondo em um tom muito um pouco alterado de voz 'EU NÃO SEI QUANDO!! NÃO TEM FAMÍLIA AINDA!!' HAHAHAHHA sério gente, foi engraçado quando eu acordei, porque no sonho me senti muito diferente do que to sentindo na vida real... Bom, pelo menos dormindo, pude sentir com mais intensidade esse sentimento que tanto as meninas comentam.

Ah, outra coisa que eu já ia esquecer de comentar é que na semana passada a menina da CC de SP me ligou pra fazer um novo teste de inglês! Pois é!! Com esse fiquei bem mais nervosa do que com aquele que fiz de surpresa, lá em abril. Ela me disse que o intuito é saber se eu mantive meu nível, ou até, se evoluí alguma coisa. São as mesmas perguntas da primeira entrevista, basicamente. Me enrolei muito pra falar, já estava achando que a CC ía me mandar embora!! E depois, assim que desliguei o telefone, comecei a responder as perguntas again, só que pra mim mesma, e me saí muito melhor... ah esse nervosismo que vive atrapalhando o ser humano né?

Mas o importante é que ela me disse que eu mantive o nível. O que já me deixa muito feliz, porque não tenho estudado NADA do que eu programei. O máximo que faço é ver um filme ou a letra de alguma música, mas até os filmes estão em baixa ultimamente! Acontece que esse teste vai ser feito todo mês, até que eu tenha o match, então, agora tenho mais um incentivo pra realmente me puxar nos estudos by myself! (a principio, a CC vai fazer isso com todas candidatas, mas conversei com uma amiga minha que está on há mais de dois meses, e ninguém ligou pra ela ainda...) Acho que é só pras meninas que estão entre o intermediário e intermediário avançado, porque de certo, as meninas que têm um nível melhor, não precisam ficar provando mensalmente a capacidade delas né! haha

Outra coisa que aconteceu e que foi muito legal, foi uma viagem que meus pais fizeram fim de semana passado, saíram daqui sexta de manhã e voltaram só no domingo a noite. Levei e busquei eles... de carro! :)
dirigi muito aqueles três dias, afinal o carro estava em casa, com muita gasolina, e só pra mim hehe foi muito legal!! Senti o gostinho da independência total hahaha No sábado a noite passei na casa das minhas amigas, lotei o carro e fomos jantar na casa de um outro amigo, preciso confessar que me senti A motorista #deslumbrada estou bem tranquila na direção, já peguei BR e ultrapassei um caminhão! hahaha Enfim, quero continuar dirigindo muito, porque gosto e porque pode ser útil no intercâmbio - vai saber o tipo de HF que vou ter! (aiai, e a curiosidade de novo...).

Por hoje é só isso gente, basicamente pra contar que ainda não tive families, e que ainda não estou em desespero! hahaha

Beijos para todas!
Obrigada pelos comentários, como todo blogueira, adoro lê-los :D

Duda.

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

JMJ - Eu fui!

Oi, galera!!

Antes de mais nada, preciso justificar minha ausência temporária: voltei da Jornada no dia 30/07, voo atrasou, levamos 5h de avião do Rio de Janeiro até Porto Alegre (acredite!), e quando cheguei em casa, só almocei e me atirei na cama. Dali, se seguiram 18 horas de um sono profundo e maravilhoso! haha Depois disso, eu queria muito postar, mas a maioria das fotos não estava comigo, então, decidi esperá-las :)

Estou com elas desde ontem, e hoje venho com muita felicidade contar de como foi a viagem (PRE-PA-RA que agora é hora do post enorme rsrs vou tentar me conter).

Bom, quem acompanha o blog, pelo último post viu que embarquei numa segunda-feira bem cedo hehe a Jornada mesmo começava na terça de tardezinha, então tivemos tempo de turistar no primeiro dia, apesar de termos feito o check-in no hotel perto do meio dia só. O Rio ainda tava bem tranquilo na segunda, e a gente só deu uma passeada geral, nenhum ponto específico. 

Já na terça, era mais comum encontrarmos peregrinos, ainda não eram tantos, mas a movimentação já era outra hehe Esse foi o dia de começar a usar o inglês e se sentir o Joel Santana falando (I need to improve my speaking). A gente foi pro Pão de Açúcar (tempo horrível, ainda bem que da outra vez que eu fui com a família, a gente pegou um calorão lá haha Se bem que a vista é linda mesmo com dia nublado e frio). E ah, nesse dia também fomos numa Starbucks la perto do hotel, pra quem não sabe, o Rio Grande do Sul não tem nenhumazinha dessas! A primeira vez que fui, foi em São Paulo, na viagem cultural de fim de ano do terceirão. E essas minhas amigas eram loucas pra ir também, aí fomos! hehe

Quando estávamos pegando o bondinho de volta, encontramos um grupo de alemães e outro de sul coreanos, eram peregrinos também. Os alemães não foram nada simpáticos, mas é o jeito deles mesmo hehe já os sul coreanos, owwwn, coisa mais querida!
(nota1: clicando nas fotos elas aparecem no tamanho original ;) )

Alemães e a simpatia em pessoa haha


Sul coreanos: os mais queridos
Depois de lá, a gente foi prum shopping que tem ali perto (tipo uns 15min a pé), e a ideia era só dar uma volta antes de ir pro hotel, onde iríamos nos concentrar para ir à Missa de abertura da JMJ (o nosso grupo era de 205 pessoas, se não me engano). Mas no fim, foi muito mais divertido! Tava cheio de peregrinos por lá, e foi onde troquei minha primeira 'lembrancinha' da JMJ (as pessoas tem costume de levar cacarecos legais pra trocar com outras pessoas, por cacarecos internacionais hehe). E adivinhem? Foi com uma menina da California! hehe quando a gente começou a falar com elas, ninguém sabia da onde elas eram, e eu fiquei tri empolgada depois que fiquei sabendo né heheh Ganhei de uma delas um pulseirinha bem simples mesmo, e dei em troca um botom com a caricatura do Papa Bento, gente, a guria amou demais! fiquei tri feliz com a animação dela :)

Logo depois, umas irmãs vieram falar com a gente também, elas eram de Portugal, e estavam divulgando uma exposição sobre a Madre Teresa de Calcutá (que por sinal, era muito boa e de graça! tava acontecendo ali no shopping mesmo). Depois disso, reunimos todo mundo pra mais foto!!


Aí, foi só caminhar mais um pouco e cruzar com peregrinos simpáticos australianos, voluntários mexicanos e brasileiros. Quando rolava o feeling, a gente conversava um pouco, tirava a foto, desejava boa Jornada e é isso, mas não sei explicar sabe. Acho que o que fazia a gente ter tanto carinho uns pelos outros, é o carinho que temos pelo que nos une, "transbordando". Não sei explicar, mas é um clima ótimo, de paz, universalidade e até mesmo, intercâmbio! hehe


(nota2: nesse shopping encontramos também dois meninos que vieram falar com a gente pra saber de onde éramos - eles não reconheceram a bandeira e pensaram que pudéssemos ser estrangeiros rsrs eles estavam no Rio pra tirar visto pra ir pro México, pelo programa Rotary. Já perguntei como funcionava, bem interessante! Tem pra vários países. Não tem nada a ver com Igreja e tal, vou dar uma pesquisada melhor, e de repente posto aqui ;)

Well, depois de caminhar bastante, a gente voltou pro hotel, deu uma passada no Forte de Copacabana que era perto (lugar lindo!) e aí, voltamos para nos encontrarmos com o grande grupo para a Missa de Abertura com o Bispo do Rio. Gente, essa hora foi muito emocionante! A praia de Copacabana tava virada em bandeiras, muuuuito legal. Todo mundo cantando, interagindo e etc. Uma festa linda! Fomos bem cedo, e chegamos ha uns 500 metros do palco rs. De noite a ideia era desmaiar na cama, mas daí conversa com as colegas de quartos, conversa com as vizinhas (afinal, éramos um grupo de mais de 200 pessoas num mesmo hotel, que nem era grande! haha ahh, esqueci de comentar, impressionantemente eu tive muita sorte e acabei ficando em um quarto com vista pra praia de Copacabana - a cara da riqueza haha) enfim, fomos dormir tarde, pra acordar cedo. Isso sim! Mas valeu a pena :D

Eu precisava olhar pela janela todo dia, quando acordava e quando ia dormir.
Isso é na segunda, dia 22. A partir de terça, tinha muito movimento
mesmo, inacreditável, mesmo vendo ao vivo!

Juro que essa foto foi espontânea, eu tava focando no nosso hotel hehe

Forte de Copacabana
Missa de Abertura
Nesse dia também ganhamos nosso kit peregrino, que os responsáveis pelas nossas inscrições tinham ido buscar *-*

Mochila, Squeze, livro sobre o abroto, vale transporte, vale refeição, camiseta,
credencial de peregrina, camiseta e o crucifixo oficial da JMJ s2

Na quarta, quinta e sexta de manhã, tivemos as catequeses, seguidas das Missas. Várias paróquias do Rio acolheram as catequeses, e em cada uma delas, se realizava em uma língua diferente. Eu queria muito ter assistido uma em inglês, mas eu estava num grupo e nem todas falavam inglês, então, nem dei a ideia. Mas na minha catequese tinha padres lá dos EUA hehe teve de três estados diferentes, como não anotei, eu não lembro :x Tinha padre da África, da Venezuela, da Espanha (um Bispo dai). Enfim, todos os lugares que íamos, eram frequentados por diversas nacionalidades. As catequeses foram muito legais e bonitas. Bonitas porque acho que nunca participei de algo com a igreja tão cheia. Muita gente de pé, e muita gente do lado de fora! E legal porque a cada dia um Bispo diferente falou de algum assunto relacionado ao lema da JMJ ("Ide e fazei discípulos entre todas as nações" Mt 28, 19). Os bispos eram muito queridos *-* fora isso, tínhamos o momento de oração e o das músicas (que chamamos de folclore). 

Ah, detalhe importante! haha Antes da catequese, que começava as 9h, os peregrinos retiravam os seus kits café da manhã (tirei foto pra postar aqui haha). Nutella todo dia, AMEI! 

A paróquia das nossas catequeses. 

O kit do Café da Manhã: Nutella, bolinho, torradinha, Nescau e suco.
Almoçávamos todos os dias depois da Missa com o nosso vale refeição (tínhamos direito a R$15 por refeição, sendo cumulativo o saldo.) Na quarta de tarde, fomos até o Rio Centro, na Barra da Tijuca: só digo uma coisa, foi uma aventura! Nesse dia já tínhamos tomado conta do Rio de Janeiro, éramos MUITOS peregrinos e voluntários, o transporte público tava hiper lotado, mas era divertido! Conhecemos muitas pessoas e cantamos pra valer no caminho hehe Fora que lá, o tal do Rio Centro, era muito legal! ENORME! Eram três pavilhões: um com shows, um com uma feira (voltei com vários livros rs) e o meu preferido: a Cidade da Fé, nesse tinham estandes dos estados brasileiros e países participantes da Jornada. Muito legal o clima de lá!


Na quinta e na sexta, voltamos pro hotel logo depois da catequese para almoçar, e ir guardar lugar na grade, pra vermos o Papa de perto. E deu certo, hehe olhem essa foto direto da minha câmera :D


Ficamos algumas horas esperando o Papa, ali na rua. Eu não sei exatamente quantas, mas acho que foi coisa de 3h em cada dia. Só que passava muito rápido! Ali na Av. Atlantica tinha muuuuito movimento, então, estávamos sempre entretidos com algo/alguém, e até o pessoal do exército ficava ali trocando uma ideia com a gente. Hehe Enfim, essas horas também renderam fotos internacionais e experiências pra não esquecer mais!! 

Italiano franciscano muito querido! Um dos que parou pra nos dar atenção hehe

Depois que o Papa passava, a gente ia até o telão mais próximo, e acompanhava o discurso dele, ou no caso da sexta, a Via-Sacra. Eu gostava do Papa Bento XVI também, ele era mais fechado e tal, mas acho que cada um tem seu jeito né? E o jeito do Papa Francisco é totalmente carismático. Os discursos dele foram ótimos!! Muito bons mesmo. Eu discordo do que algumas pessoas dizem, de que esse Papa é mais liberal, que vai mudar algumas coisas da Igreja  e tal. Olha, duvido muuuito. O que o Papa disse é relacionado a respeito, e a não julgar o próximo, o que eu, pelo menos, sempre aprendi! Isso não é nenhuma revolução não hehe o que acontece é que algumas pessoas não praticam isso, mas que essa já era a linha da Igreja, isso era. O que o Francisco fez foi relembrar esses católicos que não praticavam essas coisas de acordo com a doutrina da Igreja e o Catecismo.

Bem, na sexta de noite, depois da Via Sacra, tivemos a confirmação de que a vigília tinha sido mesmo transferida pra Copacabana, já que a chuva acabou lá com Guaratiba. De começo, fiquei desapontada e preocupada. Passei um ano esperando a peregrinação de 13km, cheguei lá e não teve (não de uma vez só, mas em parcela, tenho certeza de que caminhei mais que isso haha). E o que me preocupou foi a organização né, porque la no Campus Fidei tava tudo esquematizado, ali em Copacabana seria do jeito que o pessoal se ajeitasse hehe Mas eu e minhas colegas de quarto não desistimos de dormir na vigília. Acordamos cedo no sábado para pegarmos um lugar o mais próximo possível do palco, e tivemos muuuuitas, muitas histórias pra contar! 

Dormir na areia foi uma experiência e tanto, momentos muito engraçados! Até abriguei na minha 'casa' um casal que mora em Dubaii, muito queridos. Eles não estavam mais achando lugar pra duas pessoas, e precisavam ficar perto do palco, porque ele participaria da Missa de envio, no dia seguinte. Fiz dois amigos ali! Conversamos bastante, pedi desculpas pelo meu inglês e o cara me disse que eram bom hahahaha tão educado, coitado rsrs

Enfim, essas são algumas das fotos da minha 'casa' no fim de semana da vigília haha


Isso no sábado ainda, quando tava um pouco organizado haha

Vizinhos do fim de semana: Argentina, Itália, SP, RJ e Dubai

Nossa primeira visita. Menino muito fofo do Alaska! :) conversamos tanto,
e esquecemos completamente de pedir o nome gente! Nunca vou achar ele no facebook :c
Ele foi muito querido, deu pra cada uma de nós um botom da protetora da neve, muito lindo!
Domingo, esperando a Missa

"Arrumando a casa"
Tivemos várias dificuldades ali, principalmente a vontade de ir no banheiro e o frio durante a noite. Tínhamos a lona por baixo dos sacos de dormir, mas não foi suficiente. Aliás, nenhuma das pessoas com quem falei sobre a vigília, escapou de passar frio. Comparada com muitos, nós estávamos era muito bem! Agora o banheiro, foi problemão pra todo mundo. Eram horas de fila enorme. Sério, horas! A única vez que fui tentar, ainda interditaram o banheiro quando eu tava na metade da fila dasoijda Desisti, não queria perder tanto tempo na fila kk

Mas o fim de semana foi o mais especial da JMJ. O discurso do Papa na vigília de sábado a noite, e a Missa foram muito bonitas! Emocionante demais, e só consigo pensar em como fui abençoada de poder viver aquilo. Fiquei muito feliz :) E agora, fico na vontade de ir pra próxima JMJ na Polônia hehe

Depois disso tuuudo, precisamos enfrentar uma caminhada de volta ao hotel, e mais filas maiores do que o de 'costume' para o almoço, já que estávamos todos concentrados em Copacabana. Tá vendo pra que dormir 18h seguidas depois de chegar em casa? hehe

Na segunda ainda conseguimos turistar de novo. Fomos pro Cristo Redentos as 6h30min, vimos o sol nascer e foi lindo! Depois, ainda fomos na Confeitaria Colombo (a cara da riqueza haha), Catedral Metropolitana, Arcos da Lapa, Teatro Municipal (lindo!) e rumo a Niterói. Amei Niterói! Cidade muito linda mesmo :)

Foto que minha amiga tirou - esse é o crucifixo original da JMJ

Confeitaria Colombo

Catedral Metropolitana
Eu e meu pai curtindo Niterói haha

Por fim, é hora de fazer as malas e voltar muito feliz pra casa. Sempre digo que viajar é bom, mas voltar pra casa, é melhor ainda hehe Ficamos 8 dias fora, gastei R$1890 incluindo tuuuudo, comida, passagens, estadia (na Av. Atlantica, de frente pro mar hehe), inscrição na JMJ, lembrancinhas e livros que comprei. Conseguimos nos programar com antecedência, e pagar um pacote até bem acessível, pra tudo o que oferece.

As lembrancinhas que troquei la na JMJ

O hotel onde fiquei hospedada. Na verdade são aptos de temporada, sem café da manhã,
serviço de quarto e afins. Mas muito bem localizado, e com bom preço!
Bem gente, desculpem o post enorme. Mas esse é daqueles que quero pro meu arquivo pessoal. Foram 8 dias muitos especiais, e inesquecíveis! Quero revelar muitas fotos hehe Os sinais de fé que vi por lá, ensinaram muito!



 --- MEU PROCESSO ---

Bom, la na JMJ me lembrei pouquíssimas vezes que estava online, eu tava bem tranquila. Mas na segunda antes de vir embora, chequei lá no Rio meu email, e nada de famílias :x fazer o que né? Com meu perfil e embarque pra janeiro, imaginei mesmo que seria assim. Enfim, tem que ter paciência! E até agora, continuo sem família. A viagem até me deu vontade de continuar aqui, comprar minha Biz, um celular novo, começar a faculdade e tal. Mas aí me lembro de tudo que posso viver como au pair, e não adianta, já ta gravado em mim. Vou continuar esperando e ver no que dá. Como digo, o que tiver que ser, será. Tenho tempo ainda, tanto pra minha primeira pretensão de embarque quanto pro caso de eu querer adiar isso por um ano, ou dois. Então, manter a calma é a chave hehe

Vou continuar postando aqui, só não garanto assuntos super interessantes! hehe

Para encerrar, quem tiver paciência e quiser assistir, aqui vai uma música muito linda que ouvi la na vigília da JMJ, e que adorei!


Beijos,
Duda.

PS: agora sei porque as atuais au pairs demoram pra contar das viagens, gente, imagina fazer um post desses pra cada viagem? Desafio que vou querer cumprir!