domingo, 2 de junho de 2013

Au pair, por quê?

Oi, gurias!

Esse é um post meu, daqueles que quero ler daqui uns 10 anos e ver como eu era no auge dos meus 18 anos hehe (sei que parece título de post que vai dizer que quero ir por causa do preço e etc, mas não é isso kk).

É, acho que posso começar por aí, ne? tenho 18 anos e quero ir pros EUA mesmo assim! Tenho plena consciência de que lá só posso beber e ir em boa parte das festas/pubs depois dos 21 anos. Mas da bebiba não sou muito mesmo, o máximo que faço aqui, é tomar algum drink, sem mt alcool, porque não gosto mesmo (aliás, não consigo entender como as pessoas gostam tanto, tipo, PRECISAM disso nas festas. eu sou muito mais a guaraná antártica - que com certeza vai me fazer falta no ano de aupair! - masss, cada um cada um né).

vai dizer que isso não é melhor que uma cerveja? hahaa

Diferente da maioria das meninas, eu não escolhi o au pair porque sempre quis fazer um intercâmbio e porque esse programa é o mais barato. Escolhi tentar essa aventura por causa do que li no meio de tantos blogs, e porque realmente amo crianças. É uma experiência mais do que única, acho que nada chega perto. Nenhum outro intercâmbio é uma imersão na cultura de outro país e de outras pessoas tão grande, nada se assemelha (na minha opinião). Eu costumo dizer que não vou ser au pair, porque quero fazer um intercâmbio, na verdade vou estar num intercâmbio, porque quero ser au pair.

E quero fazer isso agora, porque quando eu voltar pro Brasil (o que com certeza vai acontecer) pretendo começar a faculdade de Serviço Social, já arranjar um emprego na área (o que não é difícil, porque realmente falta gente interessada nesse 'ramo') e me dedicar por completo a isso, que tem tudo a ver comigo! to quase certa de que se eu me engajasse na faculdade, começasse a trabalhar na área e etc, eu não iria querer largar, apesar das dificuldades que sei que vou encontrar nesse caminho que escolhi. Até porque, 'só' com as coisas que vivo agora, já me pego pensando se realmente vale a pena pausar tudo por um ano, ou dois.

Além disso, apesar da idade, já me sinto madura o suficiente pra encarar uma realidade como é a aupairiana. E acho que não devo estar tãão enganada, porque outras pessoas já me disseram isso também, então, vamos em frente hahaha

Mas enfim, preenchendo o APP me peguei respondendo a pergunta "Why do you want to be an au pair?" Sinceramente gente, me toquei que não quero "improve my english", não quero fazer amigos internacionais, e nada disso que muitas meninas querem (não estou dizendo que sejam motivos pequenos heim!! só não são os meus!) Mas o que tenho aqui no Brasil é tão bom, mas tão bom mesmo, que ter um inglês fluente, e amigos internacionais que boa parte da minha vida só poderei ter contato via skype, não pagariam o "sacríficio".

Como sou católica desde criança, e participo dos grupos da minha paróquia há alguns anos, sempre tento me perguntar o que Deus quer de mim, como posso fazer melhor nessa ou naquela situação, e agora, tão perto do famoso email que vai me dizer que estou online, tenho dúvidas se realmente meu lugar é os EUA, pelo menos entre 2014/2015. Claramente eu posso continuar seguindo os ensinamentos de Deus em qualquer país que esteja, mas em qual deles eu seria mais útil? Não sei... e aqui no Brasil, vivo momentos tão maravilhosos, que não tenho certeza se viverei lá. Aqui também, tenho claro em quais momentos/processos, posso ajudar a outras pessoas.

Então, pensando nisso mais intensificadamente esses dias, por causa do app (eu já sabia que essas dúvidas me cercariam, mas achei melhor ir levando as coisas, e deixá-las pro momento certo), decidi duas coisas:
1- se eu não sentir um feeling muito grande pela host family, não vou aceitar. se eu não perceber que elas estão dispostas a me deixarem participar das coisas da Igreja, mesmo que não seja a religião deles, também não vou. (claro que nao vou prejudicar meu horário de trabalho por causa dessas coisas, afinal, isso é algo com que ja lido aqui no Brasil mesmo hhehe). Decidi que não vale a pena arriscar tanta coisa boa, sem ter, pelo menos um pouquinho de pressentimento, de que serei feliz e poderei fazer cosias úteis lá também.
2- se até o final do ano eu não encontrar a família "certa", afinal, já terão se passado, mais ou menos, seis meses online, vou entender como um sinal de Deus, prestar vestibular e dar inicio as minhas atividades que seriam realizadas no pós-au pair. Se alguma família aparecer depois disso, dou um jeito de organizar as coisas, porque se essa for a vontade de Deus, sei que tudo vai dar certo.

É isso meninas, quem tiver alguma opinião pra me passar, estou totalmente aberta! hehe e so pra constar, esses meus assuntos tão pessoais, só estão nesse blog porque ele não é de acesso a praticamente, nenhum conhecido de meus círculos hehehe

Pra encerrar, preciso compartilhar duas coisas:
1: a foto de algumas das minhas crianças! Já amo elas, não quero nem pensar em não "precisar"/ter como voltar pra lá. Levantar de manhã cedo é uma alegria, chegar lá e ser recebido com um "Dudaaaa" de alguma das crianças, então, nem se fela! e lá sinto que sou útil :)

Usei o smilebox - já aproveitei pra fazer um teste pras fotos do app hehe
 (claro que nas do app eu vou aparecer também rsrs indico o programa, é muito bom! mas pra salvar as fotos
 voce precisa pagar a inscrição, então, eu usei o print screen ;)

2- uma música que foi usada hoje, num desses momentos maravilhosos que vivo aqui. A melodia que o grupo usou foi outra, mas mesmo assim, a música continua linda ;)

video


PS1: outra coisa que não me impede agora, é o fato de não ter namorado. Porque do jeito que sou, não sei s eu aguentaria tanto tempo longe (não por causa do ciúmes nem nada, é só porque gosto de estar com as pessoas que amo. já é bem difícil deixar amigos de verdade e família).
PS2: conhecer lugares lindos também é um bônus do programa :) lugares lindos temos no Brasil também, mas sai caro... (e hoje foi o dia do 1-2 ne? juro que não foi de propósito!)

7 comentários:

  1. Oi Eduarda adorei: vou estar num intercâmbio, porque quero ser au pair!!!!!!
    ahahahhahahahahh
    Que Deus te guie cada vez mais para os propósitos dEle, bjo bjo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. oii ana!
      mas é verdade, antes do aupair eu nunca tinha pensado em intercambio hahah
      eu nao gastaria o tanto que os intercambios "tradicionais" custam, porque nunca foi esse meu objetivo. mas o aupair, é unico!

      obrigadaa!
      beijos

      Excluir
  2. Oiii Dudaaaa!

    Não me venha com essa menina, vê se não vai nadar e morrer na praia! haha.
    Brinks, mas entendi seus motivos.
    Quanto a só aceitar família se realmente gostar, eu também penso assim. Por isso não tenho pressa. Se é pra aceitar uma família "meia boca" fico por aqui mesmo, né.

    Mas se só surgir uma família que você goste em 2014, não vai deixar de ir porque já iniciou a faculdade, né. Aí vamos ter mais tempo juntas lá haha.

    E quanto ao namorado, todo mundo gosta de estar com as pessoas que ama! hdsaidhasoh mas é uma experiência de vida que nenhum relacionamento, nenhum emprego, nem nenhuma outra coisa vai lhe proporcionar.

    Beeijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. nããão, mas se aparecer family só em 2014, vou tentar ir, com certeza! só não vou ficar parada, vendo a vida passar, por mais de um ano aqui no Brasil né hehe

      e quanto ao namorado, meu pai ja me disse a mesma coisa, mas não considerei, porque ele é pai e provavelmente não quer ter um genro né hahahaha brinkss

      Excluir
    2. Siiim, eu li mesmo um post sobre isso num blog. Sobre não ficar parada...

      É, ele provavelmente não quer haha
      Mas vou fazer um post sobre isso no blog.

      Excluir
  3. Oie !

    Muitas coisas que você disse no post me identifiquei.
    Não posso negar que o preço não seja convidativo, mas depois de anos lendo blogs sinto a necessidade de ter essa experiencia, acredito como você, que nenhum outro intercambio nos proporcione as mesmas coisas que o au pair nos dará, kkkkkk as meninas devem nos achar lokas neh kkkkkkkkk mas realmente sinto isso tbm !!!
    Eu tbm confio muito em Deus, melhor conselho é entregar TUDO nas mãos deles, e deixar que ele direcione nossas vidas porque a vontade dele sempre é boa, perfeita e agradável !!!!
    Tenho certeza se o programa for o melhor para a sua vida, dará super certo e você encontrará a família perfeita !!!!

    Bjus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Thais!

      ótimo que não sou a unica que quer ser babá nos EUA hahaha

      Obrigada por comentar ;) Vou deixar tudo por conta d'Ele mesmo hehe

      Excluir